1. Permiss√£o internacional para dirigir
  2.  / 
  3. Blog
  4.  / 
  5. 10 fatos interessantes sobre o Egito
10 fatos interessantes sobre o Egito

10 fatos interessantes sobre o Egito

Fatos r√°pidos sobre o Egito:

  • Popula√ß√£o: Aproximadamente 104 milh√Ķes de pessoas.
  • Capital: Cairo.
  • Maior cidade: Cairo.
  • L√≠ngua oficial: √°rabe.
  • Outros idiomas: √°rabe eg√≠pcio, ingl√™s e franc√™s tamb√©m s√£o amplamente falados.
  • Moeda: libra eg√≠pcia (EGP).
  • Governo: Rep√ļblica semipresidencial unit√°ria.
  • Religi√£o principal: Isl√£, predominantemente sunita.
  • Geografia: Localizado no norte da √Āfrica, o Egito faz fronteira com o Mar Mediterr√Ęneo ao norte, Israel e a Faixa de Gaza a nordeste, o Mar Vermelho a leste, o Sud√£o ao sul e a L√≠bia a oeste.

Fato 1: As pir√Ęmides eg√≠pcias s√£o as √ļnicas sobreviventes das 7 maravilhas do mundo

As pir√Ęmides eg√≠pcias, especificamente a Grande Pir√Ęmide de Giz√©, s√£o as √ļnicas estruturas sobreviventes das Sete Maravilhas do Mundo Antigo originais. Constru√≠da h√° mais de 4.500 anos, durante o reinado do fara√≥ Khufu, a Grande Pir√Ęmide √© um testemunho da engenharia eg√≠pcia antiga e da arquitetura monumental.

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo foram uma lista de constru√ß√Ķes not√°veis da era cl√°ssica, compilada por v√°rios escritores gregos. Essas maravilhas foram celebradas por suas realiza√ß√Ķes arquitet√īnicas e art√≠sticas, refletindo as proezas culturais e tecnol√≥gicas de suas respectivas civiliza√ß√Ķes. Aqui est√° uma breve vis√£o geral de cada um:

  1. Grande Pir√Ęmide de Giz√©, Egito: A maior e mais antiga das pir√Ęmides de Giz√©, constru√≠da como tumba para o Fara√≥ Khufu por volta de 2560 aC. √Č not√°vel por seu tamanho enorme e alinhamento preciso com as dire√ß√Ķes cardeais.
  2. Jardins Suspensos da Babil√īnia, Iraque: Descrito como um o√°sis de jardim com terra√ßo com vegeta√ß√£o exuberante, supostamente constru√≠do pelo rei Nabucodonosor II por volta de 600 aC. Sua exist√™ncia e localiza√ß√£o permanecem debatidas entre os historiadores.
  3. Estátua de Zeus em Olímpia, Grécia: Uma gigantesca estátua sentada do deus Zeus, criada pelo escultor Fídias por volta de 435 aC. Foi alojado no Templo de Zeus em Olímpia, conhecido por sua grandeza artística.
  4. Templo de √Ārtemis em √Čfeso, Turquia: Um grande templo grego dedicado √† deusa √Ārtemis, reconstru√≠do v√°rias vezes antes de sua destrui√ß√£o final em 401 EC. Era conhecido por seu tamanho imponente e decora√ß√Ķes elaboradas.
  5. Mausoléu em Halicarnasso, Turquia: Uma tumba monumental construída para Mausolo, um sátrapa do Império Persa, e sua esposa Artemisia por volta de 350 aC. Foi adornado com esculturas e relevos intrincados.
  6. Colosso de Rodes, Grécia: Uma estátua gigante de bronze do deus sol Helios, erguida no porto de Rodes por volta de 280 aC. Tinha aproximadamente 33 metros de altura e era uma das estátuas mais altas do mundo antigo.
  7. Farol de Alexandria, Egito: Também conhecido como Faros de Alexandria, era um farol imponente construído na ilha de Pharos por volta de 280 aC. Ele serviu de farol para os marinheiros que entravam no movimentado porto de Alexandria e foi admirado por sua construção inovadora.
kairoinfo4u, (CC BY-NC-SA 2.0)

Fato 2: Quase toda a população do Egito vive perto do rio Nilo

O rio Nilo n√£o √© apenas uma caracter√≠stica geogr√°fica, mas uma t√°bua de salva√ß√£o para o Egito, moldando a demografia e a vida di√°ria do pa√≠s. Quase toda a popula√ß√£o do Egito vive agrupada ao longo das margens f√©rteis e do delta do Nilo. Essa concentra√ß√£o √© impulsionada pela capacidade √ļnica do rio de sustentar a agricultura por meio de suas inunda√ß√Ķes anuais, que depositam lodo rico em nutrientes no Vale do Nilo e no Delta. Essa terra f√©rtil apoia o cultivo de culturas como trigo, cevada e algod√£o, cruciais tanto para o sustento quanto para a exporta√ß√£o.

Al√©m da agricultura, o Nilo fornece √°gua doce essencial para beber, irriga√ß√£o e uso industrial em uma paisagem √°rida. Essa depend√™ncia ditou historicamente os padr√Ķes de assentamento e as atividades econ√īmicas, promovendo o crescimento de cidades e vilas ao longo de seu curso. Centros urbanos como Cairo, Luxor e Aswan prosperaram como centros de com√©rcio, cultura e administra√ß√£o, conectados por redes de transporte que seguem o caminho do rio.

Fato 3: O Canal de Suez, no Egito, é uma importante rota de transporte

Essa hidrovia artificial, conclu√≠da em 1869, desempenha um papel fundamental no com√©rcio global, reduzindo significativamente o tempo e a dist√Ęncia de viagem dos navios que navegam entre os oceanos Atl√Ęntico e Pac√≠fico.

Estrategicamente localizado na encruzilhada da Europa, √Āfrica e √Āsia, o Canal de Suez √© vital para o transporte mar√≠timo internacional, permitindo que os navios evitem a longa e perigosa viagem pelo extremo sul da √Āfrica, conhecido como Cabo da Boa Esperan√ßa. Anualmente, milhares de navios de carga, navios porta-cont√™ineres, navios-tanque e outras embarca√ß√Ķes mar√≠timas atravessam o canal, transportando mercadorias que v√£o desde petr√≥leo bruto e g√°s natural at√© produtos manufaturados e mat√©rias-primas.

A import√Ęncia do canal vai al√©m dos interesses comerciais, servindo como um alicerce para as economias regionais e cadeias de suprimentos globais. Ela gera receita significativa para o Egito por meio de taxas de ped√°gio e apoia ind√ļstrias relacionadas e desenvolvimento de infraestrutura ao longo de seu corredor. Al√©m disso, a import√Ęncia estrat√©gica do Canal de Suez o tornou um ponto focal para a diplomacia internacional e a coopera√ß√£o entre na√ß√Ķes dependentes de sua opera√ß√£o eficiente.

Axelspace Corporation, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Fato 4: Cleópatra não era egípcia

Ela era membro da dinastia ptolomaica, que governou o Egito ap√≥s a morte de Alexandre, o Grande. Os Ptolomeus eram de origem grega maced√īnia e mantiveram sua identidade e tradi√ß√Ķes gregas apesar de governarem o Egito.

A fam√≠lia de Cle√≥patra, incluindo seu pai Ptolomeu XII Auletes e seus antecessores, eram descendentes de Ptolomeu I Soter, um dos generais de Alexandre, o Grande, que se tornou o governante do Egito ap√≥s as conquistas de Alexandre. Durante o per√≠odo ptolomaico, a classe dominante no Egito, incluindo a fam√≠lia real e os administradores, falava predominantemente grego e aderiu aos costumes e tradi√ß√Ķes gregas.

Apesar de sua ascend√™ncia grega, Cle√≥patra abra√ßou a cultura eg√≠pcia e as cren√ßas religiosas para fortalecer sua posi√ß√£o como fara√≥ do Egito. Ela aprendeu a l√≠ngua eg√≠pcia e se retratou como a reencarna√ß√£o da deusa eg√≠pcia √ćsis, o que a tornou querida pelo povo eg√≠pcio. A alian√ßa de Cle√≥patra com J√ļlio C√©sar e mais tarde com Marco Ant√īnio foi fundamental nas lutas pol√≠ticas e militares da Rep√ļblica Romana e do Imp√©rio Romano subsequente.

Fato 5: O Egito preservou um grande n√ļmero de monumentos hist√≥ricos

O Egito possui um n√ļmero impressionante de monumentos hist√≥ricos, com mais de 100 pir√Ęmides espalhadas por todo o pa√≠s, sendo a mais famosa a Grande Pir√Ęmide de Giz√©. Os antigos templos ao longo do Rio Nilo incluem locais bem preservados, como o Complexo do Templo de Karnak, em Luxor, que cobre cerca de 200 acres e √© um dos maiores complexos de templos do mundo. Al√©m disso, o Egito abriga in√ļmeras tumbas no Vale dos Reis, onde mais de 60 tumbas foram descobertas, incluindo a famosa tumba de Tutanc√Ęmon.

Preservar esses monumentos √© uma tarefa monumental por si s√≥, com esfor√ßos cont√≠nuos das autoridades eg√≠pcias e organiza√ß√Ķes internacionais. A restaura√ß√£o e conserva√ß√£o dessas estruturas antigas s√£o cruciais para manter sua integridade e garantir que continuem a educar e inspirar as gera√ß√Ķes futuras sobre a rica hist√≥ria e heran√ßa cultural do Egito. Esses esfor√ßos tamb√©m apoiam a ind√ļstria do turismo do Egito, que depende muito dos visitantes que v√™m explorar esses marcos ic√īnicos e s√≠tios arqueol√≥gicos.

Tim Adams, CC BY 3.0, via Wikimedia Commons

Fato 6: Um grande n√ļmero de artefatos foram retirados do Egito durante o per√≠odo colonial

Esse per√≠odo, particularmente a partir do s√©culo XIX, viu extensas escava√ß√Ķes e cole√ß√Ķes de artefatos eg√≠pcios antigos por arque√≥logos, colecionadores e exploradores europeus.

O influxo de arque√≥logos e ca√ßadores de tesouros estrangeiros foi alimentado pelo fasc√≠nio pela cultura eg√≠pcia antiga e pelo desejo de descobrir artefatos valiosos. Muitos desses artefatos, incluindo est√°tuas, cer√Ęmica, joias e sarc√≥fagos, foram retirados do Egito e acabaram em museus e cole√ß√Ķes particulares em todo o mundo.

O exemplo mais not√°vel √© a Pedra de Roseta, descoberta em 1799 por soldados franceses durante a campanha de Napole√£o Bonaparte no Egito. Esse artefato, crucial para decifrar os antigos hier√≥glifos eg√≠pcios, foi posteriormente adquirido pelo Museu Brit√Ęnico em Londres.

Nas d√©cadas mais recentes, o Egito fez esfor√ßos conjuntos para repatriar artefatos saqueados por meio de negocia√ß√Ķes diplom√°ticas e meios legais, recuperando alguns itens de museus e institui√ß√Ķes internacionais.

Fato 7: Os egípcios tinham milhares de deuses

Os antigos eg√≠pcios tinham um pante√£o complexo e diversificado, com milhares de deuses e deusas representando v√°rios aspectos da vida, da natureza e do cosmos. Essas divindades variavam de deuses principais, como Ra, o deus do sol, e Os√≠ris, o deus da vida ap√≥s a morte, a deuses menores associados a fun√ß√Ķes espec√≠ficas ou cultos locais. Cada divindade desempenhou um papel distinto na mitologia eg√≠pcia e nas pr√°ticas religiosas, influenciando a vida di√°ria, os rituais e as cren√ßas.

Além disso, os gatos ocuparam um lugar particularmente significativo na sociedade e religião do antigo Egito. Eles eram reverenciados por sua graça, beleza e qualidades protetoras percebidas. A deusa Bastet, muitas vezes descrita como leoa ou com cabeça de gato doméstico, era a padroeira do lar, da fertilidade e do parto. Os gatos eram considerados sagrados para Bastet, e acreditava-se que sua presença nas famílias trazia bênçãos e afastava os maus espíritos.

A import√Ęncia dos gatos se estendeu al√©m do simbolismo religioso. Eles eram valorizados como protetores de planta√ß√Ķes e celeiros, mantendo os roedores e pragas afastados.

Fato 8: Geograficamente, o Egito est√° localizado em dois continentes

Geograficamente, o Egito est√° situado no nordeste da √Āfrica e se estende pelo canto nordeste do continente africano e pelo canto sudoeste do continente asi√°tico. O pa√≠s √© limitado pelo Mar Mediterr√Ęneo ao norte, o Mar Vermelho a leste, o Sud√£o ao sul e a L√≠bia a oeste. A Pen√≠nsula do Sinai, localizada na parte nordeste do Egito, conecta o continente africano ao continente asi√°tico.

Fato 9: O Egito tem 7 Patrim√īnios Mundiais da UNESCO

O Egito abriga sete Patrim√īnios Mundiais da UNESCO, cada um reconhecido por seu excepcional significado cultural ou natural. Esses sites mostram a heran√ßa diversificada do Egito e incluem:

  1. Antiga Tebas com sua Necrópole (Luxor): Este local inclui as ruínas da antiga cidade de Tebas (atual Luxor), incluindo os templos de Karnak e Luxor, o Vale dos Reis e o Vale das Rainhas.
  2. Cairo hist√≥rico: O cora√ß√£o do Cairo, capital do Egito, √© reconhecido por sua arquitetura isl√Ęmica, incluindo mesquitas, madrassas e outros edif√≠cios hist√≥ricos.
  3. Abu Mena: Este sítio arqueológico apresenta os restos de um complexo monástico cristão copta e centro de peregrinação, localizado perto de Alexandria.
  4. Monumentos da N√ļbia de Abu Simbel a Philae: Este local inclui os templos de Abu Simbel, constru√≠dos por Rams√©s II, e os templos de Philae, que foram realocados devido √† constru√ß√£o da Alta Barragem de Aswan.
  5. √Ārea de Santa Catarina: Localizada na Pen√≠nsula do Sinai, este local inclui o Monte Sinai, onde, segundo a tradi√ß√£o, Mois√©s recebeu os Dez Mandamentos, e o Mosteiro de Santa Catarina, um dos mais antigos mosteiros crist√£os do mundo.
  6. Wadi Al-Hitan (Vale das Baleias): Conhecida por seus restos fossilizados de baleias extintas e outras formas de vida marinha, Wadi Al-Hitan √© uma √°rea des√©rtica a sudoeste do Cairo e fornece informa√ß√Ķes sobre a evolu√ß√£o das baleias.
  7. A antiga cidade de Qalhat: Localizado em Omã, este local inclui os restos de uma antiga cidade e porto que já foi um importante centro comercial entre os séculos 11 e 15, com fortes laços culturais com o Egito.

Nota: Se você planeja viajar de forma independente no país, verifique se precisa de uma carteira de motorista internacional no Egito para alugar e dirigir um carro.

Berthold Werner, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Fato 10: A estrutura populacional do Egito mudou dramaticamente após a conquista árabe

A conquista √°rabe do Egito no s√©culo VII dC trouxe mudan√ßas demogr√°ficas e culturais significativas. Colonos e soldados √°rabes migraram para o Egito, levando √† dissemina√ß√£o da l√≠ngua √°rabe, da f√© isl√Ęmica e das pr√°ticas culturais. Centros urbanos como o Cairo floresceram como centros de com√©rcio e aprendizado isl√Ęmico. Apesar dessas mudan√ßas, as comunidades ind√≠genas eg√≠pcias, como os crist√£os coptas, mantiveram suas identidades culturais e religiosas ao lado das novas influ√™ncias √°rabe-isl√Ęmicas. Esse per√≠odo lan√ßou as bases para a heran√ßa cultural diversificada e a identidade moderna do Egito.

Please type your email in the field below and click "Subscribe"
Subscribe and get full instructions about the obtaining and using of International Driving License, as well as advice for drivers abroad